Apertar os cintos,

30 de dezembro de 2011 / blog

2012 vem aí com tudo!

Já faz muito tempo desde a última vez que estive aqui. No fim das contas as semanas não foram suficientes para escrever a monografia, foram preciso muitas horas no sábado e até mesmo alguns domingos, sem contar as horas de sono perdido. Foram quatro meses. Quatro longos [e loucos] meses.

Definitivamente o tempo é o pior inimigo do graduando. Ver o calendário ficar mais próximo da data de entrega era desconfortante, especialmente quando eu olhava para o texto e ele parecia sempre incompleto. No final, eu já não conseguia fazer mais nada sem me sentir culpada por “não estar fazendo o TCC” e acabei ficando mais estressada ainda. Mas deu tudo certo, a banca foi ótima, com ótimos resultados e comentários. Fiquei muitíssimo satisfeita com o resultado do trabalho. Preciso agradecer ao Gabriel, à Giuliana e à Marcela, que toparam participar do trabalho, fazendo as entrevistas. Muito obrigado mesmo!

Estou oficialmente de volta, pronta para colocar a casa em ordem e seguir com os projetos. Livre do estresse, da gastrite e da ansiedade, com sete quilos a menos (dieta-TCC funciona viu! Haha) estou pronta para começar esta nova “fase”, marcada pelo novo ano. Em paralelismo com o post do William, vamos nos permitir! A fazer coisas, a correr atrás do que queremos, a amar, a fazer loucuras. A VIVER!

Feliz Novo Tempo para todos nós!

Feliz 2012!

 

[retirado de arquivo]

 

Posts relacionados

Tempo,

27 de setembro de 2011 / blog

 
vou te fazer um pedido, (…)
entro num acordo contigo.
(oração ao tempo, Caetano Veloso)

 

Percebi que não é a monografia em si que costuma apavorar os formandos por aí. É o tempo. A graduação dispõe de muito pouco tempo para que seja feita a monografia. São poucos os que chegam à faculdade já sabendo um tema para concluir o curso. Aliás, já acho felizardos aqueles que, assim como eu, já tinham certeza sobre o curso escolhido.

A questão que me traz a falar sobre este assunto é que apesar de eu ter alcançado as expectativas (creio eu) e conseguido escrever e ler tudo que me foi pedido, na medida do possível, ainda assim, foi pouco tempo e, agora me resta apenas alguns dias e algumas páginas do word para vencer.

Frente a esse obstáculo, surgiu o questionamento de porque só um semestre é dedicado à monografia. Ou então, porque já não somos orientados com antecedência para pelo menos já termos tido algum contato com as referências acerca do nosso tema.

Apesar da loucura das últimas semanas, tenho conseguido estudar o suficiente durante a semana (inclusive no feriadão de 20 de setembro) e passar um tempo supimpa, nos finais de semana na companhia do namorado, dos meus amigos e do meu PS2.

 

Posts relacionados

antes do fim

20 de junho de 2011 / blog

Preciso parar de dizer que estarei de volta em breve em breve, pois sempre que faço essa afirmação passo mais de um mês sem postar. Esse mesmo aliás foi tão produtivo em relação à minha vida ” real ” que me fez ficar longe de tudo até mesmo do meu vício “twitístico”.

Nunca antes um semestre foi tão pleno e repleto de coisas bacanas para fazer criar. Digo, tive dois semestres fantásticos quando cursei Projeto Gráfico I e II, mas neste ano está sendo o suprassumo da faculdade.  essa semana que passou, depois de virar mais de 12 horas terminando o mesmo trabalho percebi  que aquele seria o último trabalho de Projeto Gráfico III, o  qual a Bruna e eu fizemos em parceria.

Aquele trabalho significou mais do que isso. Dessa vez não foi um pensamento de curiosidade “o que faremos no semestre que vem? ” e sim que é que ele era um dos últimos… um dos últimos trabalhos não apenas do semestre, mas da faculdade. O próximo semestre será inteiramente dedicado ao meu trabalho de conclusão de curso, onde eu não terei mais aulas apenas orientações com meu professor orientador. Em clima de nostalgia, dei início as últimas três semanas de aula às quais, creio eu, serão as mais loucas do semestre.

 

[retirado de arquivo]

Posts relacionados

Happiness

25 de abril de 2011 / blog

Você sabe o que é ser feliz?

Com toda a certeza eu não sei a fórmula, mas descobri o que me faz feliz de verdade; e percebi que eu tinha tudo que eu precisava. Se eu pudesse dar apenas uma dica, essa seria viver. Muitos não percebem, mas só estão vendo o tempo escapar pelos dedos. Sabe, ele vai fazer muita falta depois e pode ser que não dê tempo de correr atrás do que se perdeu. Sorrir. Alguém me disse que adorava meu sorriso e eu percebi que não sorria abertamente há um bom tempo, então fiz um trato comigo mesma e, se quer saber, ele fez toda a diferença nos dias “nublados”. Amizade. Tenho amigos/as MARAVILHOSOS. Percebo, hoje, que não seria nada sem eles, sem as jantas e carteadas de poker seguidas de muitas risadas, as caminhadas tomando chimarrão, as festas ou ainda, as sessões de filmes e seriados. Não da para separar. São TODOS eles essenciais. Conte também com duas pessoas especiais, que te conhecem desde sempre, e que sabem, ou espera-se, exatamente quando você está ok, é claro, mom and daddy.

Acrescente no carrinho um bom livro, uma boa múica, pessoas incríveis que por ventura venham a entrar no nosso caminho, uma carreira “semi”-profissional satisfatória.

Acredite quando eu disser que estou preparada para todos os momentos estressantes que certamente hão de vir.

Eu poderia estar dizendo que o novo estágio e a facul estão me deixando cansada e blá blá blá. A verdade é que os momentos acima citados estão sendo muito mais do que qualquer outro. Enfim, acho que é uma boa perspectiva para “começar os 22”.

É, parabéns pra mim. – haha

Estarei de volta em breve trazendo algumas novidades,

=*

[retirado de arquivo]

Posts relacionados